Foco e Escopo

O foco principal da RPPR está voltado a investigações e proposições de agendas políticas e arranjos institucionais de políticas, planejamento e gestão que visam a redução ou mesmo superação das graves desigualdades territoriais, especificamente regionais, no Brasil. Este interesse não se restringe à realidade nacional, mas está voltado a experiências e reflexões realizadas em outro países, em primeiro lugar na América Latina, mas também em outros países dentro e fora das Américas.

Neste sentido, a revista cobre um amplo espectro interdisciplinar de assuntos e campos de conhecimento voltado a questões de produção e transformação de espaços e territórios - em particular nas suas escalas supra-local e sub-nacional - e recebe contribuições relacionadas às seguintes temáticas:

  • Federalismo, Formatos Institucionais (Consórcios, Conselhos etc.) e Políticas Públicas;
  • Políticas e Planos Regionais; Políticas Setoriais com Implicações Territoriais;
  • Planejamento, Gestão e Governança Territorial em Diferentes Escalas; 
  • Políticas de Combate a Desigualdades Regionais e Territoriais;
  • Planejamento e Justiça Sócio-Territorial e Ambiental;
  • Mobilizações Sociais e Apropriação e Uso Justo do Território; 
  • Desenvolvimento. Desigualdade e Identidade Regional; 
  • Regionalismo.

 

São apreciadas análises comparativas entre experiências de diferentes lugares e países - tanto dentro como fora do Brasil - e sua apreensão crítica junto às suas diferentes características.

Com os trabalhos publicados, a RPPR pretende cumprir sua missão em contribuir para estabelecer e manter diferentes formas de informação, intercâmbios debate sobre experiências de instituições públicas e privadas, nacionais e internacionais, assim como com acadêmicos, pesquisadores e atores atuantes nas áreas de estudo e pesquisa do periódico, observado o disposto na alínea anterior. 

Seu público são acadêmicos e pesquisadores vinculados ao tema, gestores públicos, representantes de instituições e profissionais envolvidos na formulação e implementação de políticas e planos regionais, bem como na aplicação de instrumentos de planejamento, desenvolvimento regional e gestão territorial, entre outros. 

Procura, assim, abrir um espaço, principalmente, para o debate de políticas territoriais e planejamentos regionais numa perspectiva interdisciplinar onde a atuação no espaço/território do poder público e de outros agentes políticos e sociais é destacada, analisada e, criticamente, apreciada. Neste sentido, quer ser um veículo para novas ideias a partir de uma perspectiva mesmo da gestão territorial e do envolvimento de novos atores na formulação de políticas regionais.